A Fertilizare nasceu com a proposta de ser um centro de referência em medicina reprodutiva na região Sul Fluminense. Conta com equipe qualificada e tecnologia de última geração para oferecer um leque completo de opções para o tratamento da infertilidade.

(24) 99246-4951

contato@fertilizare.com.br
Edifício Cecisa 2 - Largo 9 de abril, 27, sala 217 - Vila Santa Cecília, Volta Redonda

Novidades no Blog

Seg. a - Sex. 09h - 18h

Sáb. e Dom. - FECHADO

(24) 99246-4951

contato@fertilizare.com.br

Escolha

Fertilizare  >  Notícias   >  Falar ou não falar que estamos fazendo um tratamento?

Falar ou não falar que estamos fazendo um tratamento?

Casais que estão em tratamento de reprodução assistida costumam passar pelo seguinte dilema: contar ou não contar para as pessoas, principalmente familiares, que estão passando por um tratamento? Devemos dividir o que estamos vivenciando para outros, ou é algo pessoal que não deva ser dividido? Não há um padrão que irá se adequar para todos os casais, até mesmo porque as pessoas vivem em contextos diferentes, entretanto o texto a seguir pode ajudar na orientação de seu caso específico.

O tratamento inicia-se com uma escolha. Como não foi possível o método natural, o casal decide por buscar ajuda. Após todas as orientações do médico sobre os pormenores de todo o processo, surge a indagação: falar para outros ou não falar? Essa decisão também é uma escolha que deverá ser feita em consenso pelo casal. Se for decidir abrir o que estão passando, a primeira opção é falar para familiares, e os membros do casal vêm de famílias com histórias, demandas e forma de ver situações de maneira diferentes. Vamos às duas possibilidades.

As vantagens de contar estão em montar uma rede de apoio para auxiliar todo o processo. Familiares podem estar presentes durantes as aplicações, acompanhamento às consultas e aos procedimentos, até de receber conforto caso o tratamento não seja bem-sucedido. Famílias costumam estar disponíveis para ajudar, socorrer de última hora e conhecer os membros do casal por toda uma vida. Embora não sejam os protagonistas, em alguns casos ajudam até na tomada de decisões. E lembrando que com o sucesso do tratamento, serão as avós que irão auxiliar nos cuidados iniciais do recém-nascido. Então nada mais justo em serem incluídos em todo o processo.

É fato de que nem todas as famílias irão funcionar como rede de apoio. As relações familiares podem ser as mais maravilhosas, mas também podem vir acompanhadas de muitas tensões e relacionamentos ruins. Inicialmente pode ocorrer uma não aceitação do tratamento. Pessoas mais conservadoras têm certa dificuldade em entender os avanços da ciência e podem se tornar desconfiadas e até críticas. Em certos casos ocorrem pressões de pais por netos comparando com exemplos de outras pessoas da família que já possuem filhos. Um fato marcante relatado por casais é em relação às expectativas causadas pelo tratamento. Durante todo o processo existe a possibilidade de dar certo ou não. O casal costuma ter a consciência, recebendo da equipe médica a informação de que está fazendo uma tentativa e não algo garantido. Mas será que os familiares têm essa consciência? E como lidar com a frustração caso as coisas não ocorram como se espera? E lembrando que o processo não termina com um teste de gravidez positivo e sim com o nascimento do filho, os familiares estrão juntos em todos os momentos?

A decisão de contar ou não contar é totalmente pessoal. Junto o casal deverá avaliar todas as possibilidades tendo em mente o modo de agir de suas famílias de origem. Para ajudar nesta decisão o apoio de um profissional pode ser bastante útil. É necessária uma opinião isenta e o psicólogo é o profissional adequado para saber ouvir ambos os lados do casal e contribuir para que o tratamento ocorra da forma mais saudável possível.

Fertilizare

A Fertilizare nasceu com a proposta de ser um centro de referência em medicina reprodutiva na região Sul Fluminense. Conta com equipe qualificada e tecnologia de última geração para oferecer um leque completo de opções para o tratamento da infertilidade.

Sem comentários

Deixe seu comentário