A Fertilizare nasceu com a proposta de ser um centro de referência em medicina reprodutiva na região Sul Fluminense. Conta com equipe qualificada e tecnologia de última geração para oferecer um leque completo de opções para o tratamento da infertilidade.

(24) 99246-4951

contato@fertilizare.com.br
Edifício Cecisa 2 - Largo 9 de abril, 27, sala 217 - Vila Santa Cecília, Volta Redonda

Novidades no Blog

Seg. a - Sex. 09h - 18h

Sáb. e Dom. - FECHADO

(24) 99246-4951

WhatsApp

Pânico dos pais é uma das causas para que mulheres jovens decidam adiar a gravidez, diz pesquisa

Pânico dos pais é uma das causas para que mulheres jovens decidam adiar a gravidez, diz pesquisa

Estudo publicado recentemente explica que esse fator psicológico influencia a mulher na hora de optar pelo congelamento de óvulos.

Congelamento de óvulos é um procedimento cada vez mais adotado pelas mulheres ao redor do Mundo. No Brasil, o Sistema Nacional de Produção de Embriões (SisEmbrio), que é gerenciado e monitorado pela Anvisa, mostrou que entre 2016 e 2017 a procura por esse procedimento cresceu 20%.

Estudos publicados pelas mais respeitadas instituições internacionais indicam que as mulheres mais jovens têm optado por essa forma de extensão da fertilidade. “O congelamento de óvulos, normalmente, está ligado à necessidade da mulher adiar a gravidez e manter a fertilidade mesmo com o avanço da idade, seja por problemas de doença, como o tratamento do câncer, seja por obrigações profissionais, por conta da busca de melhores oportunidades na carreira”, explica o especialista em Reprodução Humana, Dr. Alfonso Massaguer, diretor da clínica Mae.

Mas, uma pesquisa publicada pela Human Fertility traz uma novidade em relação a esse comportamento. O estudo mostrou que o principal fator que influencia uma mulher a optar pelo congelamento de óvulos é o chamado “pânico dos pais”, um fator psicológico que ocorre quando a mulher entra num relacionamento tendo como único objetivo ter um filho. Mas esse tipo de atitude, muito comum na sociedade moderna, pode ser prejudicial tanto para a mãe como para o bebê. “Não há um envolvimento afetivo real entre os cônjuges, apenas a vontade de ter uma criança e isso pode acarretar problemas psicológicos”, acrescenta o especialista.

Outro motivo para o congelamento de óvulos, revelado na pesquisa, é a queixa sobre a falta de um parceiro que compartilhe o sonho da maternidade. Ou seja, para garantir a fertilidade até encontrar o cônjuge ideal, muitas mulheres acabam optando pelo congelamento de óvulos. Para muitas delas, esse processo também é uma forma de dar mais tempo para se pensar em ter um filho. A pesquisa indica que a grande maioria das mulheres que deseja engravidar tem uma pressão terrível para encontrar um parceiro adequado, em um período de tempo relativamente curto. Com os óvulos congelados, a fertilidade garantida, elas acabam tendo mais tempo para se planejar.

Uma das questões apontadas pelo estudo é que a informação disponível para as mulheres que têm interesse nesse processo é inadequada. Muitas, inclusive, sequer fazem ideia de que é preciso buscar uma clínica de reprodução humana reconhecida e com profissionais capacitados para dar início ao processo de congelamento de óvulos.

Uma das maiores reclamações foi a falta de dados e discussões sobre os resultados desse processo. A probabilidade dos procedimentos darem certo no futuro, os resultados pós-congelamento e qual o tempo ideal para a utilização dos óvulos são alguns dos pontos mal discutidos, segundo as entrevistadas na pesquisa.

Como funciona o congelamento de óvulos?

O congelamento de óvulos é um procedimento adotado por mulheres que querem estender sua fertilidade por mais tempo. O ideal é que ele ocorra antes dos 35 anos de idade da mulher. Isso porque, até esse período as mulheres têm boas taxas de fertilidade.

Ao congelar os óvulos antes dos 35, tenta-se preservar as mesmas taxas de sucesso desse período. Mesmo que o descongelamento e fertilização ocorra apenas aos 40 anos.

O processo de congelamento de óvulos envolve várias etapas. Para começar a paciente precisa fazer uma indução de ovulação. Geralmente ela dura por volta de 10 dias, e envolve a ingestão de uma série de medicamentos que irão estimular o crescimento de folículos.

No 12° dia após o início da indução, a paciente é sedada para que os óvulos possam ser coletados. Esse processo é feito com uma agulha especial que fica acoplada a um ultrassom.

Após a coleta, eles serão encaminhados para um laboratório. Nas próximas duas horas eles ficarão em uma incubadora para terminar de maturar, e posteriormente selecionados.

Só então ocorre o congelamento de óvulos. Para isso, utilizasse nitrogênio líquido em uma temperatura de -196°C.

Eles ficarão armazenados até que a paciente decida engravidar.

Para que você consiga fazer a extensão da fertilidade, é recomendado que o congelamento de óvulos seja realizado até os 35 anos. Isso porque após esse período há maior perda de qualidade dos óvulos.

“O ideal é sempre consultar um médico especializado, que pode ser encontrado na própria clínica de reprodução humana. Assim, você poderá saber exatamente se o congelamento de óvulos é a melhor alternativa para o seu caso, e quais os possíveis resultados”, conclui o Dr. Massaguer.

Fonte: Terra

Fertilizare

A Fertilizare nasceu com a proposta de ser um centro de referência em medicina reprodutiva na região Sul Fluminense. Conta com equipe qualificada e tecnologia de última geração para oferecer um leque completo de opções para o tratamento da infertilidade.

Sem comentários

Deixe seu comentário